Ações

 

Para atingir os objetivos institucionais o Camp Vila da Penha desenvolve as seguintes ações:
 
Ações Objetivo Usuários Procedimentos Quando?
Atendimento Social ðInformar e orientar sobre cidadania;ðIncentivo à autonomia;ðIdentificação de demandas que possam ser objeto de ações futuras. Usuários dos programas e suas famílias. 1)Realizar estudo social com a família de cada adolescente ou jovem que participar do Programa de Estágio, Jovem Aprendiz ou Curso de Preparação para o Trabalho;2)Informar o que for necessário para o usuário iniciar em programa da instituição;3)Mapear e organizar a rede de assistência local;4)Articular com a rede ou com a família do usuário para dar os devidos encaminhamentos às demandas;

5)Estatística mensal do número de atendimentos.

A todo tempo, de acordo com demandas.
Curso de Preparação para o Trabalho 1)Orientar para o exercício da cidadania;2)Incentivar o protagonismo juvenil;3)Oportunizar o acesso a informações acerca do Mundo do Trabalho;4)Estimular o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários;

5)Oportunizar o ingresso ao mercado de trabalho.

Alunos do curso de preparação para o trabalho. Aulas diárias, de segunda a sexta – 4 horas por dia, por 4 meses, com a ministração de 13 módulos integrados de suplementação /reforço escolar e desenvolvimento profissional, que têm aprovação do Conselho Estadual de Educação do Estado do Rio de Janeiro.  Semestral – 2 turmas de 30 alunos.
Curso de Preparação para o Trabalho – Intensivo 1)Orientar para o exercício da cidadania;2)Incentivar o protagonismo juvenil;3)Oportunizar o acesso a informações acerca do Mundo do Trabalho;4)Estimular o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários;

5)Oportunizar o ingresso ao mercado de trabalho;

6)Atender demandas de conveniadas.

Inscritos no Banco de Currículos. Aulas diárias, de segunda a sexta – 4 horas por dia, por 1 mês, com a ministração de conteúdos integrados de suplementação /reforço escolar e desenvolvimento profissional, para o atendimento a demandas urgentes de empresas conveniadas. Quando necessário para atender demandas de vagas:Turmas de 15 alunos.
Dinâmicas de Grupo 1)Incentivar o protagonismo juvenil e o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários;2)Informar sobre trabalho;3) Promoção da Saúde e Qualidade de Vida. Alunos do curso de preparação para o trabalho. 1)Oficinas sócio-educativas, utilizando diversos instrumentos e recursos multimídia, tais como, dinâmicas de grupo, campanhas, exibição de vídeos etc., para a promoção, informação e educação em saúde, com ênfase na adoção de hábitos saudáveis de alimentação e vida**;2)Treinar atividades que eduquem para o trabalho. Durante o treinamento: uma vez por semana.
Oficinas de Famílias Orientar para o papel da família na vida do adolescente, tratando aspectos psicossociais da adolescência, papel da empresa, aspectos financeiros, planejamento de vida e futuro do adolescente. Famílias dos usuários dos programas. 1)Oficinas periódicas, utilizando dinâmicas de grupo. – Durante o treinamento;– Durante o tempo de estágio ou aprendizagem.
Encaminhamento para o Trabalho Encaminhar adolescente ou jovem para o Programa de Estágio ou Jovem Aprendiz. Usuários inscritos no Banco de Currículos. De acordo com o perfil da vaga de estágio ou de jovem aprendiz, verificar o adolescente ou jovem apto para ocupar a vaga;verificar critérios para o preenchimento da vaga;informar sobre a vaga;contactar a empresa para verificar resultado de entrevista;

informar aos entrevistados resultado da entrevista.

 Ao surgirem vagas.
Acompanhamento do Programa de Estágio 1)Apoiar o adolescente seja no que diz respeito a sua profissionalização e empregabilidade, seja no tocante a sua vida física e mental, seus vínculos sociais e sua situação econômica;2)Mediar a relação empresa x Estagiário para manter convênios. Usuários inseridos no Programa de Estágio. 1)Acompanhar rendimento e frequência à escola;2)Visitas Periódicas às empresas conveniadas que tenham estagiários em seu quadro, para aplicação de:– Indicação de cursos, eventos entre outras oportunidades importantes para a orientação vocacional e formação profissional;– Avaliações de Desempenho, Pesquisa de Clima Organizacional, Pesquisa de Satisfação do Estagiário;

– Análise de Resultados e Relatórios de Visitas – Encaminhamento;

– Convocação de responsáveis, caso necessário, visando ações educativas ou corretivas;

– Retorno ao adolescente, através de orientações educativas;

3)Acompanhar situações de estagiários afastados da atividade por doença ou acidente; – Acompanhamento da evolução do caso – contato com a família; – Reabilitação Profissional;

4)Envio de carta parabenizando desempenho excelente;

5)Controlar entrada e saída de adolescentes do programa, bem como descanso anual remunerado, enviando e-mail ou contactando as empresas com antecedência de 2 meses.

1) Durante o período de estágio – trimestral;2)Quatro em quatro meses;3)Ao surgirem novos casos;4)De acordo com avaliações realizadas;

5)Mensal.

Acompanhamento do Programa Aprendiz 1)Apoiar o jovem seja no que diz respeito a sua profissionalização e empregabilidade, seja no tocante a sua vida física e mental, seus vínculos sociais e sua situação econômica; 2)Mediar a relação empresa x Aprendiz para manter convênios. Usuários inseridos no Programa Jovem Aprendiz. 1)Acompanhar rendimento e frequência à escola;2)Visitas Periódicas às empresas conveniadas que tenham aprendizes em seu quadro, para aplicação de:– Indicação de cursos, eventos entre outras oportunidades importantes para a orientação vocacional e formação profissional;– Avaliações de Desempenho, Pesquisa de Clima Organizacional e Pesquisa de Satisfação;

– Análise de Resultados e Relatórios de Visitas – Encaminhamento;

– Convocação de responsáveis, caso necessário, visando ações educativas ou corretivas;

– Retorno ao jovem, através de orientações educativas;

3)Acompanhar situações de aprendizes afastados da atividade por doença ou acidente; – Acompanhamento da evolução do caso – contato com a família; – Reabilitação Profissional;

4)Envio de carta parabenizando desempenho;

5)Moderar o site do Ministério do Trabalho para registro e atualização de dados de todos os aprendizes e empresas conveniadas, conforme exigências do Programa Jovem Aprendiz;

6)Controlar entrada e saída de jovens do programa, bem como períodos de férias, enviando e-mail ou contactando as empresas que se encontrem nesta condição, com antecedência de 2 meses.

1)Durante o período da Aprendizagem – trimestral; 2)Quatro em quatro meses; 

3)Ao surgirem novos casos;

 

4)De acordo com avaliações realizadas;

 

5)Mensal;

 

6)Mensal.

**Baseados nos motivos que influenciam o processo saúde adoecimento em nosso país como, por exemplo: violência, desemprego, subemprego, falta de saneamento básico, habitação inadequada e/ou ausente, dificuldade de acesso à educação, fome, urbanização desordenada, qualidade do ar e da água ameaçadas, meio ambiente deteriorado.
 
 

DEMAIS AÇÕES

Sala de Espera Enquanto aguarda atendimento o usuário tem acesso a informações do Mural de Avisos, que divulga oportunidade e serviços sociais.
Banco de Currículos Jovens que atendam aos critérios dos Programas desenvolvidos pela instituição podem preencher um cadastro candidatando-se a vagas no Programa Jovem Aprendiz. Para isto é só comparecer ao CAMP no horário de atendimento (9h às 16h).
Atualização de recursos comunitários Ao surgirem novas oportunidades
Articulação com a rede sócio assistencial Ao surgirem demandas
Atendimento a demandas imediatas – população não-usuária Todos terão direito ao atendimento do Serviço Social, se solicitado
Mobilização de novas parcerias e convênios Ao surgirem oportunidades
Participação em reuniões, cursos, encontros e fóruns de instituições que tratem de assuntos referentes à área da assistência social e de interesse do CAMP Vila da Penha, tais como: CRESS, FEBRAEDA, FEBIEX, APERJ, CMDCA, CMAS, FIA, MTE, FEAP, etc. Ao surgirem oportunidades
Share